Arquivo

Posts Tagged ‘geo’

Geoprocessamento 101

outubro 21, 2009 3 comentários

Vendo que no meio do mês que vem vou estar na PUC (RS) dando uma palestra sobre geoprocessamento em base Web 2.0 pensei em fazer uma introdução básica no mundo do geoprocessamento para aqueles que nao possuem um conhecimento aprofundado.

Básicamente, geoprocessamento (ou GIS – Geographic Information System) é um sistema envolvendo hardware e software utilizado para facilitar controles e análises geográficas. Alguns costumam dizer que um exemplo básico (e bem básico mesmo) é o Google Maps, no qual se tem duas camadas básicas: mapas vetorizados (desenhados) e imagem satélite. Em cima dessas duas camadas e com informações externas (ou atributos), o google já produziu e produz algumas aplicações como transito, controle de queimadas, caminho mais curto, etc…

Falando sobre camadas (layers), algumas pessoas deve ter estranhado, então farei uma explicação prática. Para montar um mapa de uma cidade em geoprocessamento, existe o MUB: Mapa Urbano Básico.

Mapa Urbano Básico

Mapa Urbano Básico

Nesse exemplo temos a montagem das camadas do MUB. Cada numero tem sua respectiva função. Todas as camadas são feitas apartir da vetorização da camada 1, que é uma imagem aerea, que pode ser tanto de um satélite como de um avião. Segue as propriedades das camadas:

  • 1 – Imagem Aerea
  • 2 – Eixos Viários
  • 3 – Eixos Viários com Nomes
  • 4 – Eixos Viários com Nomes e Numeração de Esquina
  • 5 – Inserção das Quadras
  • 6 – Inserção dos Lotes
  • 7 – MUB Pronto para Cadastro Urbano

Na prática, cada uma dessas camadas podem ser habilitadas ou não para a visualização de uma mapa, por exemplo, um usuário que quer ver apenas as quadras em questão dos eixos viários com nomes e numeração de esquina, deixará só estas camadas ativadas.

O utilização do geoprocessamento é fasto, tanto no mundo privado como público. Empresas do ramo de transportes/fretes utilizam para rastreamento dos veículos Secretarias de meio-ambiente utilizam para controlar vegetação, hidrografia, topoligia, etc… Também é muito utilizado para prever fenomenos e catastrofes ambientais, como alagamento e desmonoramento de terra. Uma utilização frenquente a todos é a meteorologia, que utiliza dados do passado (normalmente, multiplos) e um dado presente para calcular uma previsão do que poderá acontecer. O mapa que mostra o caminho das nuvens e suas modificações nos jornais é um exemplo de geoprocessamento próximo do publico em geral.

Como não pretendo me extender, acabo por aqui esta explanação, mas prometo vir mais a fundo em outras horas. See ya, folks!

Anúncios